segunda-feira, 4 de maio de 2015

Aravena 360 graus

Para fechar, Aravena 360 graus.
Centro de Inovação da Universidad Católica de Chile: seu edifício insuperável.













Espero que na próxima viagem consigamos entrar!

Espaço educacional dos sonhos


Voltando à arquitetura contemporânea, vamos explorar um pouco mais o tema dos campus universitários, já comentado aqui que costumam ser de boa qualidade e contar com edifícios assinados.


Essa é a Faculdade de Economia e Empresas da Universidad Diego Portales, dos arquitetos Rodrigo Duque Motta, Rafael Hevia, Gabriela Manzi.




É o tipo de edifício divertido, que creio que qualquer aluno de arquitetura curtiria vivenciar.






Chile: um país latino americano que investe em arquitetura. Que sirva de exemplo!

Modernismo na veia


Tivemos tempo também para fazer uma visita guiada à joia modernista do Chile, o CEPAL.



Marco da arquitetura moderna chilena, o edifício ganhou o prêmio nacional de arquitetura. O projeto é do arquiteto Emilio Duhart.






A visita guiada foi excelente, quando pudemos entrar em todos os espaços importantes do edifício.
Destaque para o sistema estrutural a prova de sismos, totalmente inovador para a época.



Não sei se é necessário dizer, mas a obra foi inspirada em Chandigarh, de Le
Corbusier...

Super contemporâneo

De volta ao Chile... dessa vez trazendo uma turma de 35 alunos para um tour exclusivamente arquitetônico.

Apesar de já conhecermos 98% do roteiro, gostaria de postar 3 surpresas boas que tivemos a oportunidade de experimentar nessa ocasião.


A primeira delas, totalmente inédita, é o Parque Fluvial Renato Poblete, inaugurado em janeiro de 2015.

O parque traz um paisagismo contemporâneo à margem do Rio Mapocho, com lago, pontes, taludes, quadras, desníveis que convidam à caminhada.



Excelente detalhamento e linda topografia artificial. Se eu tivesse um papelão escorregava nesses taludes fácil!









Lindo espaço público de uma cidade de "terceiro mundo" que é um exemplo para a América Latina. Vergonha das nossas cidades bagunçadas. Precisamos de melhores políticos. E de melhores arquitetos também.